Conteúdo Lógico e Político do Processo Decisório

José Francisco de Morais

Diretor e Consultor Corporativo

COMANDA Educação Corporativa

Trabalhamos essencialmente com componentes políticos, quando tomamos decisões, isto faz aumentar a importância dos planos de contingência.

Frequentemente aquilo que ameaça a estrutura de poder nem sempre é discutido. A saída para a coalizão de poder é tomar decisões que não a ameace. As grandes decisões normalmente são evitadas, e a razão para isto é que “Todas as coalizões tendem a se preservar pelas decisões que tomam”. O processo decisório é essencialmente um processo de poder. A maioria das decisões encontradas nas empresas são decisões programadas, onde o contexto político tem pouca influencia por que:

O grau de certeza é grande.
O risco é pequeno.
Há continuidade (experiência anterior)

Por outro lado, as decisões estratégicas ameaçam a estrutura do poder: para minimizar ou eliminar esta ameaça, o processo habitual é o processo incremental ou seja, tomam-se pequenas decisões, parcelarizadas, que permite aos dirigentes controlar os padrões de transformação e de minimizar riscos.

As decisões programadas tem uma trajetória definida, já as decisões estratégicas não possuam trajetórias definidas por montar rede muito complexa de variáveis causais e intervenientes que permeiam o processo.

Para minimizar os efeitos do conteúdo político, a análise de decisão pode contrabalancear com o conteúdo lógico, preconizado por kepner –Trigoe.

Uma vez determinando a causa do problema, é preciso:

1. Estabelecer objetivos

Resultados que devem ser produzidos.
Recursos que devem ser utilizados.

2. Classificar objetivos em:

Objetivos obrigatórios.
Objetivos desejáveis.

3. Gerar cursos de ação alternativos.

4. Comparar e escolher alternativas, confrontando-as com os:

Obrigatórios: passa/ não passa.
Desejáveis: Ajustamento relativo.

5. Avaliar as consequências adversas

Minimizar ameaça.

6. Tomar a decisão

“A Tomada de Decisão significa assumir o compromisso para a ação. A tomada de decisão é o processo de escolher entre várias formas de executar um trabalho. Isto envolve primeiramente a criação de um padrão de comparação que é a lista de objetivos que devem ser atingidos pela ação considerada. Cada alternativa é medida em comparação a tal padrão de referência, e uma delas é escolhida de acordo com o melhor julgamento do administrador. Antes de agir com a escolha feita, o administrador procura ver se há consequências adversas, fazendo um balanço das vantagens e das desvantagens. Uma decisão sistemática é o produto de uma grande quantidade de pequenos julgamentos, organizados e resumidos.”

Kepner Trigoe

A COMANDA Educação Corporativa dispõe de cursos na área de Análise de Problemas e Tomada de Decisões.

Consulte nosso site: www.comanda.com.br ou entre em contato pelo telefone (11) 3097-9646, e hoje fale com nosso setor de atendimento.